Desvendando

Nessa página, você irá encontrar textos sobre

"o mundo da medicina do esporte"!

CORONAVÍRUS (COVID-19)

         Em tempos de pandemia, o coronavírus é o tema do momento em todos os nossos veículos de comunicação: seja na TV, na rádio, no jornal, no whatsapp ou numa conversa descontraída com os amigos em reuniões online. Estamos ávidos por novas informações sobre o vírus em praticamente todas as horas que permanecemos acordados; ao mesmo tempo que é importante estarmos super atualizados, também precisamos cuidar de nós mesmos de uma forma global - nós médicos usamos o termo "biopsicossocial". 

                O que vocês, população geral, precisam de fato saber sobre o coronavírus?

                É um vírus novo, desconhecido, então todos (inclusive nós, médicos) estamos estudando diariamente sobre como combatê-lo.

           Por ser um vírus, ele vai se manifestar como uma síndrome viral qualquer nas suas mais variadas formas, podendo apresentar os seguintes sintomas: febre, tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar, cansaço, fadiga, náuseas, vômitos e/ou diarreia. 

                 Por que grifei "falta de ar" e "cansaço"?

               Porque estes são os sintomas que vão te fazer a procurar uma emergência! Caso contrário, manter a calma e a paciência, temos que esperar o ciclo viral terminar. Não deixe de tirar dúvidas com o seu médico caso julgue necessário.

                É necessário o uso de máscaras?

          De acordo com as últimas recomendações do Ministério da Saúde, SIM! Caso seja extremamente necessário sair de casa, TODOS devem sair de máscaras pelo seguinte motivo: se você for portador assintomático do vírus, ou seja, você tem o vírus, mas não manifesta os sintomas, a máscara será mais uma barreira de transmissão. Várias pessoas têm se colocado disponível para a fabricação de máscaras caseiras, assim como é fácil produzi-las. 

                 Lembrando que isso não substitui o isolamento social e a lavagem de mãos de forma frequente, pois essas são as principais medidas!

                 Como eu faço para manter o treino nessa pandemia?

              Temos orientado a manutenção dos treinos "indoor" se possível, com auxílio de algum profissional à distância.

                Se impossível de realizá-los dentro de um ambiente fechado, orientamos ir para um ambiente aberto afastado onde não haja qualquer tipo de contato com outras pessoas. 

               Agora, o mais importante de tudo: cuide da sua saúde mental! Esbanje técnicas de relaxamento - o exercício é uma das mais efetivas! Ouse em técnicas novas, como por exemplo a meditação ou qualquer outra que faça se sentir bem.

                  A seguir, a mensagem de um amigo que trabalha no Médico Sem Fronteiras enviada no nosso grupo do Whatsapp na primeira semana de pandemia:

                    "Pessoal, eu já estive em situações similares em MSF - confinamento + epidemia/guerra etc. 
                     Meus conselhos são:
- Mantenham sua rotina normal na medida do possível 
- Façam exercício regularmente seja de que forma for - aplicativos, consultoria, vídeos etc
- Dediquem um ou dois horários ao longo do dia para se atualizarem sobre o que está acontecendo - não adianta ficar querendo saber tudo na hora, pois saber agora ou 8 horas depois não vai mudar em nada o que você já está fazendo
- Leiam sobre outras coisas e assistam outras coisas - em missões, eles falam para nunca ler algo relacionado a trabalho no seu tempo livre (que deve existir TODOS os dias)
- Aproveitem esse tempo para aprender algo novo on-line - cozinhar, meditar, instrumento etc 
- Aos profissionais de saúde, um ambiente tranquilo faz toda diferença no atendimento. O pânico é uma reação irracional que só atrapalha, diminui eficácia, deixa a gente mais doente.
- Se estiver precisando desabafar, faça um Skype com um amigo que você sabe que vai te relaxar. Ou procure ajuda profissional, vários psicólogos estão fazendo consultas por Skype.

São só os primeiros dias de algo que provavelmente vai durar algum tempo e é preciso fazer isso desde o início senão a gente não aguenta. Estamos juntos!

Andrei Melo"

                   Deixo aqui mais alguns links úteis:

  • Dei uma entrevista para o site "Olimpíada todo dia" sobre o coronavírus, abordando temas importantes!

Quer dar uma olhada? Clique aqui

  • O Comitê Olímpico Brasileiro preparou um guia em pdf para os atletas, ficou bem legal!

Quer dar uma olhada? Clique aqui

  • Uma amiga médica escreveu sobre o uso das máscaras e como produzí-las de forma fácil!

Quer dar uma olhada? Clique aqui

               Não tenho realizado atendimentos no consultório até que a pandemia esteja controlada, mas fico à disposição para a retirada de qualquer dúvida ;)

Texto por: Lara Ramalho – 07/04/2020

 

Imagem retirada de: https://www.coronavirus.ms.gov.br/?p=626

BRONCOESPASMO INDUZIDO

PELO EXERCÍCIO (BIE)

         O broncoespasmo induzido pelo exercício é definido como o estreitamento transitório das vias aéreas durante ou após a atividade física vigorosa. Seus principais sintomas são falta de ar, dor/aperto no peito, chiado e tosse.

             Sua ocorrência se dá, principalmente, na população de atletas (amadores ou competitivos) atópicos, com ou sem asma associada. São praticantes de esporte de endurance em sua maioria, ou seja, corredores e nadadores de longas distâncias, submetidos a volumes de treino maiores, assim como provas mais longas.

             

           O atleta, em grande parte das vezes, não percebe ser portador de tal patologia, por não apresentar sintomas clássicos, sendo esta um dos diagnósticos diferenciais de queixas mais amplas como “fadiga” e “cansaço”.

           

            O diagnóstico é feito a partir dos sintomas relacionados pelo paciente associados ao teste ergoespirométrico em protocolo específico para o diagnóstico de BIE. A título de curiosidade, é realizado da seguinte forma: realiza-se uma espirometria simples antes e após o teste ergoespirométrico e, a depender do guideline utilizado, uma queda de > 10% no VEF1 fecha o diagnóstico.

           

           O tratamento é parecido ao da asma, a depender da frequência com que o atleta realiza a atividade física que desencadeie os sintomas; as medicações mais utilizadas são o corticoide inalatório e o Beta2 inalatório de curta duração.

         

           O BIE é uma patologia mais comum do que pensamos e de fácil tratamento, então é importante sabermos da existência do mesmo para que possamos suspeitá-lo!

Texto por: Lara Ramalho – 12/02/2020

 

 

Bibliografia

  1. http://www.jornaldepneumologia.com.br/detalhe_artigo.asp?id=1180

  2. https://www.uptodate.com/contents/exercise-induced-bronchoconstriction?search=broncoespasmo%20induzido%20pelo%20exerc%C3%ADcio&source=search_result&selectedTitle=1~71&usage_type=default&display_rank=1